7 de janeiro de 2017

Os erros mais frequentes na comunicação

Os erros mais frequentes na comunicação 

A boa comunicação é uma arte.

E como toda arte, exige uma série de técnicas, que envolvem o desenvolvimento de certas características. Eis algumas:

  • Saber ouvir;
Falar é ótimo, mas saber ouvir é uma façanha: mesmo quando o outro está falando coisas que lhe parecem sem importância, é aconselhável ouvir, porque pra ele é importante falar. Se não tiver o que responder, apenas ouça. isto é uma forma de acolhimento.

Mesmo quando o outro estiver lhe criticando, é útil ouvir as críticas até que o outro desabafe o suficiente para que seja confrontado. É inútil confrontá-lo durante o discurso. Se ele só quer ser ouvido, inevitavelmente a conversa vai virar um clássico "bate-boca". E isto pode ser o fim de um relacionamento.

  • Saber falar
Isto envolve: saber o que falar, quando falar e como falar. Cabe aqui uma pequena história: (Clique na imagem para ampliá-la)


Os três filtros propostos por Sócrates são:

1) O conteúdo é verdadeiro? -  Embora a verdade absoluta seja inexistente, é importante relatar fatos sem afirmá-los como certos. Troque as palavras: "eu sei" por "eu penso que..", Evite falar sobre o que não tem certeza

2) O conteúdo é bom? - Nem sempre aquilo que temos a dizer é bom. (Deveríamos falar mais sobre coisas boas). No entanto,  existem formas de tratar sobre assuntos desagradáveis. Comece perguntando ao interlocutor se ele tem alguma ideia sobre o assunto, se já ouviu algo, se alguma vez pensou sobre..etc..Não "despeje" o conteúdo amargo de uma só vez, Ninguém está preparado para receber más notícias de supetão. 

3) O conteúdo é útil? Mesmo que seja verdade, e não seja bom, será que é útil falar sobre algo? Este ponto é polêmico, pois algumas pessoas acreditam que devem ser sinceras sempre. E em nome desta "sinceridade escancarada" acabam "metendo os pés pelas mãos", produzindo estragos maiores do que a omissão. Aqui não tem regra. cabe a cada um usar o bom senso, pesar os prós e contras de cada situação e avaliar se o que vai ser dito produzirá algum benefício para o ouvinte.