20 de novembro de 2016

Traição

Traição pode ser entendida como uma ruptura de compromissos, que pode se dar em vários níveis: afetivos, profissionais, familiares, etc.


Neste tópico, vou tratar sobre a traição relacionada aos relacionamentos afetivos, que aflige muitas pessoas.


Imaginemos um relacionamento que está indo "de vento em popa". O parceiro (ou a parceira) é afável, pontual, carinhoso, envolvente, etc.. Mas um dia, eis que que você se depara com uma cena nada agradável: Vê o seu parceiro (a) flertando/transando/ficando com outra pessoa




psicoterapia, psicologa, sp, vila mariana, convenio bradesco saude, sul america, amil, adultos, crianças, idosos

Realmente, é desesperador. É como se o mundo parasse ou (no relato de algumas pessoas) como se "o chão se abrisse".



Diante desta cena inesperada (ou equivalentes) o sentimento mais comum é a raiva. Algumas pessoas podem ter vontade de tomar uma atitude na hora, outras preferem não acreditar (negação).



Nenhuma das duas atitudes é recomendável, uma vez que a raiva pode levar os indivíduos a cometerem atos graves, que poderão lhes colocar em situações comprometedoras. A negação, por sua vez tende a camuflar o sentimento de raiva que poderá (eventualmente) se transformar em doenças psicossomáticas, manisfestadas por meio de dores de cabeça, desânimo, apatia etc.



Não existem fórmula pronta para lidar com esta situação. Cada caso deve ser avaliado separadamente, pois somos todos diferentes. Porém seria útil tentar compreender a situação evitando:


  • a condição de menos-valia - "se ele me trai é porque eu não tenho valor"
  • escândalos - "vou acabar com a reputação dele"
Estes pontos não acrescentam nada e desfavorecem o entendimento da situação.
O ideal é tentar se acalmar, e
  • tentar conversar abertamente (sim, eu vi a traição acontecer!), 
  • pedir explicações sinceras (o que te levou a fazer isso?), 
  • se for o caso terminar a relação de forma tranquila (perdi a confiança em você e vai ser difícil recuperá-la)
  • ou fazer um pacto de reconciliação, exigindo que os problemas do casal sejam colocados de forma aberta, franca; que haja mais diálogo e mais entendimento; mais concessões de ambos os lados. Se possível buscar uma terapia de casal.
Este tipo de traição deixa marcar por muito tempo. A psicoterapia é aconselhável para ajudar no resgate da autoestima, agregando condições de enfrentamento para recomeçar.