Fim de ano: Mesas repletas, corações vazios

Parece estranho quando ouve-se alguém dizer que não gosta do natal. a resposta mais delicada que alguém que afirma não gostar de natal é que tal pessoa " é louca"....
Afinal, como pode alguém não gostar desta festa cheia de luzes, presentes, mensagens, etc? Não dá pra entender....

Não dá pra entender à luz do senso comum, dos conceitos fechados sobre o que é natal. Mas eu devolvo a pergunta:

O que é natal pra você?

Deveria ser uma festa cristã (oriunda das festividades pagãs), a celebração do nascimento de Cristo, o Messias prometido...

Mas na nossa sociedade de consumo as coisas não funcionam dessa maneira. O Menino Jesus jaz esquecido na sua manjedora na noite de  natal enquanto algumas pessoas comem e bebem à mesa, para celebrar seu nascimento.
A troca de presentes é o ponto alto da festa: um Ipad novo, um novo par de tênis, videogames... e o velho menino Jesus permanece esquecido....

Poucos hão de concordar comigo, mas eu entendo que se a festa é de natal (que significa Nascimento), deveria-se então celebrar seu nascimento de outra forma.

As pessoas enchem as ruas, enchem as mesas, enchem as árvores, mas os corações continuam vazios... vazios de quê? O que se busca disfarçar atrás de tanto consumismo?

Fim de ano também pode ser considerado como uma época ideal para dar vazão à gastança reprimida ao longo do ano. Nada mais justo, afinal trabalhou-se muito, foram dias e dias de luta para que no final de ano se pssa adquirir aquele bem de consumo, mesmo que em suaves prestações.

Mas eu pergunto: existe uma REAL necessidade de aquisição ou é apenas... influência da mídia?

Sabe-se que a Mídia é difusora de notícias e ideologias, sendo assim é a partir dela que nascem as encessidades de consumo.  Portanto é sempre bom questionar muito antes de encher as árvores e esvaziar os bolsos.

Comentários

  1. Faz muito tempo q o Natal deixou de ser um período de renovação e renascimento. O consumismo desenfreado transformou uma das maiores festas cristãs em uma corrida às lojas.
    O verdadeiro sentido do Natal está esquecido. A mídia não vai fazer nada a respeito, até pq precisam vender e divulgar seus produtos. Portanto, a grande mudança cabe a nós, conscientes que somos que Natal (de dar presentes) pode ser qqer dia; q Natal (de ajudar e tentar amar o semelhante como Jesus pregou) pode ser em qqer dia, q Natal (de reunir a família em volta da mesa farta) tb pode ser qqer dia.
    Precisamos, e eu tb preciso, transformar todos os dias em Natal, para que a compreensão, a solidariedade e a paz possam definitivamente reinar em nossos corações.
    Bjus e Feliz Natal, ou Felizes Natais!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Muito Obrigada por seu comentário!!!!

Tudo de bom pra você

Psicóloga SP Vila Mariana S. Paulo Terapia online presencial

Postagens mais visitadas deste blog

Análise da letra "O Papa é POP"

As cinco fases do luto no término dos relacionamentos

A necessidade de aceitação

Vídeo