Pular para o conteúdo principal

A Inveja segundo Melanie Klein

Onde nasce a inveja?


psicologa, sp, bradesco saude, convenio, vila mariana, terapia de casal, adulto, criança, amil, golden cross


Melanie Klein (1991) aponta que a inveja é uma emoção muito arcaica que remonta ao nascimento. Ela surge no momento em que o bebê percebe-se impotente perante sua mãe (ou cuidador), no que concerne ao seu bem-estar, ou seja: quando ele precisa de cuidados ou alimento e seu cuidador não o gratifica de imediato, surge então um sentimento de inveja. A inveja daquela fonte criadora de bem-estar, daquele seio farto do qual o bebê depende. Porém Klein vai ainda mais longe quando trata da destruição: Segundo ela a criança na posição esquizo-paranoide deseja destruir esse seio que ora lhe parece bom, ora lhe parece mau, para não ter de passar novamente por situações de frustração. Claro que isto é uma simplificação. Os conceitos são mais amplos.

Observe que a cadeia; frustração -> raiva -> destruição

A Frustração todos conhecemos  é a ausência de gratificação; um desejo contrariado.
A raiva é um sentimento absurdamente natural e que somos ensinados a reprimir como se fosse um pecado.
O desejo de destruição  incomoda pois ao perceber que o outro tem algo que não se pode ter e que muito se deseja pode haver uma tendência a destruir este objeto apenas não para lidar com a sua falta.

Alguns indivíduos chamam atenção nos meios onde vivem por possuem alguns atributos diferenciados. Infelizmente, alguns não conseguem conviver com o diferente e buscam formas de destruir o outro (seja na ordem do simbólico ou do real). Isto pode ser entendido como INVEJA que etimologicamente significa “não ver”:
A inveja é a ejaculação dos olhos”. Essa definição nos remete à própria etimologia da palavra inveja, formada pelos étimos latinos in (dentro de) + videre (olhar), que indicam claramente o quanto esse sentimento alude a um olhar mau que penetra no outro. Essa alusão acabou por se disseminar em diferentes expressões populares, tais como mau olhado, olho grande, olhar que seca pimenteira, entre outras. (Figueiredo; Ferreira, 2011, p. 181)


Este desejo de destruição existe para eliminar os parâmetros de comparação. É como se um time de futebol pudesse massacrar o time adversário que ganhou a partida, apenas pra esquecer a derrota.
A inveja pode ser caracterizada pela negação:

"Eu não queria mesmo...."
"Nem reparei que você tingiu o cabelo"


Ou pela racionalização:
“Claro que ela tirou notas boas. Passou a noite inteira estudando. Não fez mais do que obrigação”.
Quando falamos de “inveja branca”, não estamos nos referindo ao mesmo conceito, uma vez que esta “inveja branca” pode ser entendida como “Admiração”. A diferença básica é que na admiração não há desejo de destruição do outro e sim uma tendência à imitação (que pode ser bastante prejudicial se não houver parâmetros, já que pode ser entendida como uma espécie de roubo de identidade).


FIGUEIREDO, Maria Flávia; FERREIRA, Luis Antonio. Olhos de Caim: a inveja sob as lentes da linguística  e da psicanálise. Sentidos em movimento: identidade e argumentação. Coleção Mestrado em Lingüística. 2011 - publicacoes.unifran.br

KLEIN, Melanie. Inveja, Gratidão e outros trabalho. Rio de Janeiro. Imago: 1991.

Comentários

Avalie

Opiniões

Postagens mais visitadas deste blog

Análise da letra "O Papa é POP"

As letras do Compositor Humberto Gessinger retratam conteúdos extremamente profundos, exigindo grande capacidade de abstração para estabelecer uma compreensão aproximada. Portanto devem ser interpretados de acordo com a subjetividade e o momento de cada um. Deste modo, não existe interpretação certa ou errada. Não é possível afirmar com certeza sobre o que Gessinger pretendeu expor, exceto se o mesmo se posicionar a este respeito. Deste modo, deixo aqui uma análise  aproximada, respeitando os demais pontos de vistas e ressaltando que não existem verdades absolutas. Aceito críticas, desde que sejam feitas de forma madura, adultas, fundamentadas e construtivas visando agregar novos pontos de vista para todos os leitores E QUE ESTEJAM COERENTES COM O QUE FOI ESCRITO NO POST.  Respostas ofensivas não serão publicadas. ___________________________________________________ Eis a letra na íntegra: Todo mundo tá revendo O que nunca foi visto Todo mundo tá comprando Os ma

A dificuldade de relacionamento

Por que algumas pessoas apresentam mais dificuldade de relacionamento que as outras?  O tema não é fácil e abre diversas possibilidades de entendimento. A proposta aqui não é esgotar o assunto, mas ao contrário, buscar novas formas de entendimento. O que é a dificuldade de relacionamento Trata-se da dificuldade que se apresenta quando um indivíduo precisa estabelecer elos de comunicação, e não consegue, por medo ou vergonha excessiva,  Aquilo que para alguns é tão natural, para outras é um pesadelo, preferindo abster-se do convívio social, isolando-se ou buscando apenas relacionamento na internet, onde não precisam se expor com totalidade, podendo "deletar os indesejáveis" quando bem entender. Não vamos considerar como dificuldade o simples fato de um indivíduo se desentender somente com uma ou duas pessoas. Isto pode ser uma questão de ajuste na relação e é assunto pra outro tópico. O foco aqui são as dificuldades que trazem limitações e p

psicologa, bradesco

Atendimento Psicologico convenio Bradesco por reembolso. www.psicoterapia-sp.com.br Maris V. Botari ( Curriculo ) Psicóloga Clínica CRP-SP - 06/121677  (11) 99984-9910  Consultório  Rua Domingos de Morais, 770 - bl 01 sl 05 Vila Mariana - São Paulo -  SP psicologamaris@gmail.com O consultório de psicologia funciona: De segunda a sexta das 7:00-23:00 Sábados: 7:00-20:00 Domingos: somente emergências  Atendimento:  terapia crianças, adultos, idosos, casais e grupos, ajuda emocional, orientações e aconselhamentos.  Primeira consulta  grátis Quando procurar terapia? A psicoterapia é uma forma de promover o bem estar afetivo para quem busca ajuda emocional. O processo psicoterapico tem duração variada, dependendo da queixa e das formas que o paciente encontra de lidar com os conflitos. O papel da psicologa ou psicologo é mostrar os possíveis caminhos Atuo com terapia cognitivo comportamental, testes e avaliações Ofere